jump to navigation

Sobre estar sozinho setembro 21, 2006

Posted by Melissa Quintanilha in textos.
trackback

(texto enviado pela amiga Re. Eu finalmente aprendi que primeiro devo ser feliz sozinha para entao ser feliz em um relacionamento. A felicidade esta dentro de nos, so depende de nos, e nao de fatores externos.)

Não é apenas o avanço tecnológico que marcou o inicio deste milênio. As relações afetivas também estão passando por profundas transformações e revolucionando o conceito de amor.

O que se busca hoje é uma relação compatível com os tempos modernos, na qual exista individualidade, respeito, alegria e prazer de estar junto, e não mais uma relação de dependência, em que um responsabiliza o outro pelo seu bem-estar. A idéia de uma pessoa ser o remédio para nossa felicidade, que nasceu com o romantismo está fadada a desaparecer neste início de século. O amor romântico parte da premissa de que somos uma fração e precisamos encontrar nossa outra metade para nos sentirmos completos. Muitas vezes ocorre até um processo de despersonalização que, historicamente, tem atingido mais a mulher. Ela abandona suas características, para se amalgamar ao projeto masculino. A teoria da ligação entre opostos também vem dessa raiz: o outro tem de saber fazer o que eu não sei. Se sou manso, ele deve ser agressivo, e assim por diante. Uma idéia prática de sobrevivência, e pouco romântica!

A palavra de ordem deste século é parceria. Estamos trocando o amor de necessidade, pelo amor de desejo. – Eu gosto e desejo a companhia, mas não preciso – o que é muito diferente. Com o avanço tecnológico, que exige mais tempo individual, as pessoas estão perdendo o pavor de ficar sozinhas, e aprendendo a conviver melhor consigo mesmas. Elas estão começando a perceber que se sentem fração, mas são inteiras.

O outro, com o qual se estabelece um elo, também se sente uma fração. Não é príncipe ou salvador de coisa nenhuma. É apenas um companheiro de viagem. O homem é um animal que vai mudando o mundo, e depois tem de ir se reciclando, para se adaptar ao mundo que fabricou. Estamos entrando na era da individualidade, o que não tem nada a ver com egoísmo. O egoísta não tem energia própria; ele se alimenta da energia que vem do outro, seja ela financeira ou moral. A nova forma de amor, ou mais amor, tem nova feição e significado. Visa à aproximação de dois inteiros, e não a união de duas metades. E ela só é possível para aqueles que conseguirem trabalhar sua individualidade.

Quanto mais o indivíduo for competente para viver sozinho, mais preparado estará para uma boa relação afetiva. A solidão é boa, ficar sozinho não é vergonhoso. Ao contrário, dá dignidade à pessoa. As boas relações afetivas são ótimas, são muito parecidas com o ficar sozinho, ninguém exige nada de ninguém e ambos crescem. Relações de dominação e de concessões exageradas são coisas do século passado. Cada
cérebro é único. Nosso modo de pensar e agir não serve de referência para avaliar ninguém.

Muitas vezes, pensamos que o outro é nossa alma gêmea e, na verdade, o que fizemos foi inventá-lo ao nosso gosto. Todas as pessoas deveriam ficar sozinhas de vez em quando, para estabelecer um diálogo interno e descobrir sua força pessoal. Na solidão, o indivíduo entende que a harmonia e a paz de espírito só
podem ser encontradas dentro dele mesmo, e não a partir do outro. Ao perceber isso, ele se torna menos crítico e mais compreensivo quanto às diferenças, respeitando a maneira de ser de cada um.

O amor de duas pessoas inteiras é bem mais saudável. Nesse tipo de ligação, há o aconchego, o prazer da companhia e o respeito pelo ser amado.

Anúncios

Comentários»

1. Renata Monteiro - setembro 21, 2006

esse texto é foda!

conforta o coração em momentos em que nos perguntamos o porquê de algumas situações em nossa vida!

vivendo e aprendendo…

te adoro miga!
“tamu juntu” hehhehehe

bjão

2. Gabi - setembro 21, 2006

puxa!
esse eh da coleção “ler e reler sempre”!

3. Marilia - setembro 22, 2006

Muito legal esse texto , como disse a Gabi é pra ler ve reler sempre .

4. bellinha - setembro 22, 2006

muito bom e verdadeiro…a galera esquece de se amar primeiro e viver em viver bem com vc mesmo….
“eu me amo, eu me adoro….eu nao consigo viver sem mim” (so pra zoar um pouco)

bjs migs….

5. Claudia Beatriz - setembro 22, 2006

Esse texto fala tudo… na verdade funcionou pra mim.. quando estava bem sozinha, apareceu meu namô.. e o resto vc já sabe né?

6. Andreia Sieczko - novembro 17, 2006

Amei esse texto, muito verdadeiro

7. Fátima Gonçalves - novembro 17, 2006

Esse texto é muito verdadeiro…..Já vivi esse momento.

8. Eda Lima - novembro 20, 2006

Admirar a si próprio é o único começo prá que qq. relação dê certo – daí o que vem é conseqüência do bem!!
belo texto, sensível e real.

9. daniel - novembro 26, 2006

vix esse texto e do doido curti e o q sempre falo as vezes deviamos ficar sozinhos + tempo p pensar refletir conhecermos + nos msm! abçs a todos! como diz platao “conheça a ti mesmo”

10. solitaria - janeiro 6, 2007

seu texto é belo, mas na prática é muito difícil se praticar. sabe o que eu penso disso? que ele é uma forma de se enganar. quem não consegue encontrar um companheiro diz isso pra si mesmo pra se conformar. e todo mundo no mundo sabe que ser feliz sozinho pra sempre é impossível. uma coisa é ficar sozinho uma tarde, um dia, um final de semana. a outra é passar anos e anos só, natal e ano novo sozinho, viagens sozinho, filmes sozinho. solidão no aniversário e por aí vai. sinceramente, vc acha que isso é ser feliz?

11. Jan Muá - março 1, 2007

O texto tem uma grande verdade. Cada pessoa deve formar-se a si próprio, aprender na vida a conviver consigo próprio, sentir-se a si mesmo, cuidando-se, treinando na vida, refletindo, zelando seus gostos, seus pazeres, podando seus egoísmos, doar-se aos outros, individualizar-se sem egoísmos, socializar-se como pessoa de bem, na fraternidade e na solidariedade. Ao mesmo tempo que faz ese treinamento da individualidade correta, aprenderá em suas horas de solidão, a gostar do outro, a desejar, a avaliar a felicidade e o sofrimento do outro. Assim, ficará preparado para amar alguém, um alguém que o mereça, de forma mais amadurecida, numa doação de coração e numa amizade profunda que pode valer uma vida. Solidão em si mesma, não. Mas acho que a solidão pode ensinar muita coisa para a socialização das pessoas, para a arte de conviver, sobretudo no amor!

12. Sílvia - agosto 29, 2007

Na teoria é muito fácil, escrever beas palavras, o duro é sentir na pele a dor da solidão.

13. Lúcia - dezembro 30, 2007

Verdade ! Ao ficar sozinha, aprendi a me curtir, a me fazer mimos…
a buscar o que me agrada, a me amar mais…
É problemático viver só quando não tem como pagar as contas…

14. Guilherme Renna - janeiro 28, 2009

Cara… Acho que esse texto foi muito bem escrito e tem muitos fatos descritos de forma coerente…
Passei vários anos sozinho e realmente aprendi muito.
Lendo o texto tive a impressão de que “estar sozinho” significa apenas não ter um parceiro do sexo oposto para amar. Acredito que é possível ficar sozinho, mas não a vida toda.
Talvez a pessoa deva ficar sozinha apenas por um certo tempo, para se conhecer melhor. Mas isso depois de ter um relacionamento intenso. Para que ela possa comparar as duas situações.
Mas não podemo-nos esquecer dos amigos e familiares (que também devem ser amigos)!
Devemos sempre ter relações sociais e amar nossos amigos!
Afinal, eles também nos dão forças nos momentos em que precisamos. Nos abrem os olhos para fatos que não conseguimos reparar. Essa é a minha opinião…

Resumindo: acho que é bom ficar sozinho sim… mas só por um tempo, para se conhecer melhor e também conhecer a natureza humana.

15. Hugo T. - janeiro 12, 2010

Recebi o texto do Flávio Gikovate por e-mail, e fui buscar no Google opiniões sobre esse texto. Acho que poucas pessoas que comentaram aqui, entenderam o a essência do texto…

Solidão é um estado, não uma característica!
O Texto fala de ESTAR SOZINHO, não ser sozinho.

O outro não é responsável minha felicidade. O único responsável sou eu.
Minha relação não deve ter como base a dependência; mas sim a vontade de estar junto, a vontade de manter uma relação de parceria.

Quando pequenos, aprendemos a conviver com outras pessoas. Dificilmente uma criança fica sozinha por muito tempo. Então crescemos e não aprendemos a estar sozinhos, e isso acaba sendo estranho.

Devemos questionar essa solidão:
Por que estou sozinho?
Será que as pessoas se afastaram? Ou me afastei das pessoas?
Quem é responsável por isso?
Quem está sofrendo com isso?

16. João Alan Severo - janeiro 26, 2010

Caraca estava precisando mesmo ler um texto como este atual, de boa compreensão e o mais importante VÁLIDO serve de verdade para uma reflexão, pelo ou menos para quem sabe reconhecer e pensar ou melhor raciocinar. valeu pelo texto.

17. Ronaldo - julho 24, 2010

Solitária, você, em parte, tem razão. Eu entendi o que você disse. Realmente a teoria na prática é outra. Mas o texto também está dizendo verdades. Nós temos que nos valorizar mais e não depender tanto dos outros. A gente tem que aprender a ser (mais) felizes com nós mesmos. Se ficarmos achando que só seremos felizes com outra pessoa, a vida fica muito ruim, caso a gente não encontre a “outra metade”. Eu acho que existe uma obsessão em querer ser feliz a dois. Não há uma tentativa, ou esforço, de ser feliz, ou mais feliz, sozinho. Para a maioria, essa opção não existe. A maioria não cogita essa possibilidade. É a lei do menor esforço. Então, o texto tem o seu valor. Eu acho que dá, sim, para ser feliz, ou mais feliz, sozinho. Mas é preciso buscar isso. Afinal, a vida não se resume à vida conjugal. A vida é muito mais abrangente. Mas as pessoas são muito limitadas. É muito triste e, de uma certa forma, até perda de tempo, passar a vida toda em busca de uma companhia que jamais existirá. Acho melhor empregar mais o tempo em outras coisas como, trabalhar, estudar, divertir-se, ajudar, etc. A vida passa rápido, e desperdiçá-la é a pior coisa que existe.

18. Amanda - setembro 26, 2010

Haaa, até que fim achei algo como mais ou menos penso, quero chegar neste estágio também, para mim é tão dificil ficar sozinha hoje, antes penso que tinha aquela vontade adolescente, hoje não,pareço com atitude de uma velha, sem ânimo, apenas vivendo a avida como “Deus quer” é horrivel , eu ouvir isto, sou totalmente contra esta frase.Parece que estou vivendo em um sitio , fazenda sei la o que, parece que nao vivo em uma cidade grande, será que era eu que criava isso dentro da minha cabeça?As coisas não tem mais graça, nem paquerar mais é como antes, sair, parece que faço parte deste mundo mais não estou inserida nele, será a politica? (rsrssr)tento entender o que se passa comigo essas sensações estranhas de ficar muito tempo em dedicação ao estudo, tô pra conhecer um cara que consiga sentir prazer em estudar 24h em casa, ultimamente ficar sentada estudando solitariamente só me faz pensar sacanagem (rsrssrsr), deve ser por isso que ainda não cheguei neste estado que o blog fala. Valeu , foi legal para eu refletir, tava pensando assim também , que bom, não estou tão só assim 🙂

19. Larissa Floriani Paul - dezembro 5, 2010

é um vídeo, sobre estar sozinha.. é em ingles, mas é muito bom

20. Ícaro - agosto 6, 2012

andando pelos meus favoritos encontrei este texto! show!! apoio a ideia e acredito muito no equilíbrio de viver sem a “alma gêmea”. parabéns!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: