jump to navigation

Loira por um dia outubro 30, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in comida, diversao & arte.
9 comments


Agora posso dizer que já fui loira por pelo menos um dia na vida. Agora chega, hehe. Quando se tem cabelo curto até que é interessante ficar com cabelo comprido por um dia… Uma vez por ano, no Halloween, eu fico com cabelão. Ano passado era laranja num dia e verde no outro. Esse ano fiquei praticamente uma Carla Perez. 😛

A rainha do mar outubro 28, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in saudade.
3 comments

ipanema.jpg

Se Copacabana é a princesinha do mar, ipanema só pode ser a rainha. Como é lindo esse lugar. Eu até esqueço. Hoje vi essa foto linda no fotolog do meu amigo Fabio e fiquei pensando em como estou com saudade desse bairro maravilhoso de onde eu vim. Beleza de tirar o fôlego. Tem quase 1 ano que não ando nesse calçadão. Em 1 mês e meio tô em casa de novo!

Confirmação que vem de dentro outubro 26, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in divagacoes.
5 comments

Hoje tive mais um desses episódios que me fez pensar: Por que precisamos sempre de uma confirmação externa das nossas próprias qualidades? Por que as pessoas são em geral tão inseguras?

Semana passada mandei o primeiro “rascunho” do meu paper pro meu orientador. Fiz questão de chamar de rascunho pois não estava achando ainda tão bom. Hoje tive uma reunião com ele pra falar do paper e fui esperando encontrar um papel cheio de marcas vermelhas. Esperava que ele fosse me mandar mudar mil coisas, cortar parágrafos inteiros, adicionar coisas que eu nem tinha sonhado, etc. Pra minha surpresa ele praticamente não mudou quase nada do que escrevi. Só umas palavaras aqui e ali. Fiquei até insegura pois eu no fundo fui achando que não estava bom o suficiente e esperava que ele fosse faze-lo “ficar bom”. Ele só me deu dicas em como escrever a parte de discussão e projetos futuros que eu ainda não tinha feito. Ele percebeu que fiquei com receio quando vi que ele fez tão poucas mudanças e me disse “Você já está estudando isso há 2 anos, sabe do que está falando. A estrutura tá boa, tudo bem explicado e claro.” E minha mente desconfiada ficava pensando “Será que ele ta falando sério?”

Aí eu fiquei me perguntando: Por que será que eu sempre duvido da minha própria capacidade? Sempre foi assim. Na verdade, já foi muito pior. Me achava o cocô do cavalo do bandido, mas a sequencia de conquistas foi me mostrando meu valor. E eu fico me perguntando por que eu preciso de fatores externos pra me mostrar o meu valor. Por que já não posso saber que: Sim, sou capaz, tenho potencial. Aquela frase do filme Waking Life ficou mais uma vez ecoando na minha cabeça “What keeps humans from reaching anywhere near their real potential?” Preguiça não é o meu caso. Será que tenho medo? Não sei… no momento é a dúvida da minha própria capacidade. Estranho… pois no fundo eu sei que cada um tem a capacidade para ser e fazer aquilo que quiser. Basta fazer. Mas como é difícil se convencer disso!

Depois da reunião fui na Barnes & Noble e resolvi dar uma olhada na sessão de cartões de frases (que eu tenho vários espalhados pela casa). O primeiro cartão que peguei, sem nem olhar, dizia “Never quit believing in yourself!“. Foi quase uma cena celestial ali naquele momento. Não preciso nem dizer que comprei o cartão na hora e ele tá aqui agora em pé do lado do meu computador. E aqui vai ficar até eu conseguir tudo que eu quero.

Fiquei pensando… se eu mesma não acreditar em mim, quem vai?

Igreja condendando o amor? outubro 25, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in divagacoes.
2 comments

Nossa, eu nunca falei de religiao aqui. Nem gosto de entrar no merito da discussao pois nunca me aprofundei muito no assunto. Nasci numa sociedade catolica mas nunca me identifiquei com o catolicismo, nunca tive o costume de frequentar a igreja. Ficava pensando se tinha algo de errado comigo por nao me identificar com nenhuma religiao. Ate que recentemente tive mais contato com budismo, passei a ler mais. Nao sou budista oficialmente mas diria que sou “simpatizante”. Sim, nao sou uma anormal, existe uma doutrina com a qual me identifico, e isso me deu um certo conforto.

Voltando ao assunto igreja.

A sequencia de pensamentos comecou hoje quando estava chegando ao trabalho e vi um carro com o simbolo da igualdade (usado pela comunidade gay como forma de pedir igualdade para todos). E fiquei pensando: Como pode a igreja condenar o homossexualismo? Como pode ela dizer: e’ errado ser homossexual. Errado??? Quem disse o que e’ certo? E’ certo homem com mulher… mas homem com homem e mulher com mulher ‘e errado?

Na minha visao sao somente formas diferentes de amar!
Como pode a igreja condenar o amor? O mais sublime dos sentimentos?

Podem tentar me explicar como for, mas eu nao consigo entender! Alias, me revolta falar que o amor entre pessoas do mesmo sexo ‘e errado. Fico pensando em como e’ injusta essa socidade, querendo ditar o que e’ certo e o que ‘e errado.
E isso me faz desacreditar em tudo mais que a igreja diz.

Ai’ alguem se espanta quando eu digo: Nao vou casar na igreja.
Pq sera que 99,99% das mulheres seguem essa tradicao? Sera que todo mundo sabe o real significado da tradicao antes de seguir? Ou sera que sao somente marionetes que ja nao questionam mais nada nessa vida? Antes de comecarem a jogar tomates no blog, eu digo: Nao sou contra quem casa na igreja. Respeito quem faz essa opcao. So que ela nao ‘e a minha.

Eu nao quero viver no piloto automatico nao, gente…

Waking Life outubro 24, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in filmes.
2 comments

Esse fim-de-semana vi esse filme incrível chamado Waking Life, uma animação de 2001. Se o filme fosse mudo já seria interessante só pelo tipo da animação. Bem artística, parecem pinturas em movimento. O filme contou com a colaboração de diversos animadores então é legal ver os estilos diferentes de forma integrada.

Fora o fator artístico, o filme fala de umas idéias muito legais. No final de algumas cenas eu me peguei falando “uauuu”, pq se tratam de assuntos que eu não só concordo mas realmente acredito. Abaixo estão 3 passagens que acho mto legais e umas duas frases maravilhosas do filme.

Conheço gente que dormiu e gente que amou o filme. Eu fiquei o tempo todo de olhos bem abertos.

Existentialism

What are these barriers that keep people from reaching anywhere near their real potential? This question can be answered with another question: Which is the most universal human characteristic? Fear or lazyness?

Fear or lazyness?

Telescopic Evolution

To say yes to one instant is to say yes to all of existence.

The Crime Channel outubro 17, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in divagacoes, filmes.
2 comments

Esse videozinho do The Crime Channel tem a seguinte mensagem “If we had to make a kid’s show, this is how we’d do it.” Genial!

Já dizia Damien Hirst outubro 15, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in divagacoes.
3 comments

Aí vai uma frase do artista inglês Damien Hirst que eu recebi da minha querida amiga Ca. Pra mim é como uma filosofia de vida.

Eu quero passar o resto da minha vida
em todos os lugares,
com todas as pessoas,
uma a uma,
sempre, pra sempre,
agora.

Procurando essa frase original em inglês, descobri que é o título de um livro do Damien Hirst. Abaixo está a versão original da frase:

I Want To Spend The Rest Of My Life
Everywhere,
With Everyone,
One To One,
Always, Forever,
Now

Uma boa semana a todos!

Call for papers! outubro 10, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in mestrado.
add a comment

Quando a gente acha que a vida ja tem desafios o suficiente, surge mais um. Quem plantou essa ideia foi meu orientador do mestrado, o homem que mais respeito nesse pais, carinhosamente referido como “The Man”. Se eu pudesse colocava ele no lugar do Bush, mas enfim…

Na nossa ultima conversa ele me disse “Melissa, por que vc nao submete seu trabalho para ser apresentado em conferencias internacionais?” Hmmm. Mas que boa ideia. Esse era o meu novo sonho “Viajar o mundo apresentando meus trabalhos”. Claro que a gente coloca os sonhos la em cima, mas precisa comecar por algum lugar, ne? Eu nao tava pensando nisso ate q ele plantou essa semente na minha cabeca e eu adorei a ideia. Isso vai me forcar a seguir adiante com minha tese e formalizar melhor as ideias em papel pq agora vou ter que escrever tudo formatadinho seguindo as restricoes de papers para conferencias.

Nunca escrevi um paper na vida, mas pra tudo tem uma primeira vez. Ja peguei alguns pra ler como exemplo e o meu orientador me deu umas guidelines.

O desafio que eu me lanco agora e’: ter meu projeto aceito em pelo menos uma conferencia na Europa. Eu vou tentar ate conseguir. Nao importa que receba dezenas de naos. Vamo q vamo!

Pra começar bem a semana… outubro 8, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in divagacoes.
2 comments

… uma música linda.
Enjoy! 🙂

Vida nova outubro 4, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in divagacoes, mestrado.
1 comment so far

Minha vida ta tao diferente nesse 3o e ultimo ano de mestrado. Pra comecar, voltei da Europa com outra cabeca. Terminei o trabalho naquela revista mala que so servia pra queimar meus neuronios. E agora estou com uma vida academica bem diferente da que tive nos dois anos passados. Estou fazendo aula de Italiano como hobby e o resto do tempo eu divido entre o novo trabalho e a minha tese. Passo o dia inteiro no departamento onde eu trabalho, tenho total controle sob meu tempo. Acho que pouco a pouco vou me organizando legal e vou conseguir tocar os dois projetos numa boa. Essa semana eu analisei minhas aulas com meu orientador e vi que so preciso fazer mais uma aula e c’est fini! Agora eu penso que valeu a pena ter ralado tanto nos primeiros dois anos. Vou poder dedicar meu tempo ao desenvolvimento da minha tese e ao novo trabalho. To disposta a nao sair de cima pra poder fechar essa formacao com chave de ouro!