jump to navigation

Moradora de Seattle abril 10, 2010

Posted by Melissa Quintanilha in viver nos EUA.
trackback

Agora sou oficialmente moradora de Seattle!

Fiz a mudanca no dia 28, com ajuda dos meus pais e Davide. Que trabalheira e que cansaco. Fizemos tudo nos mesmos. Consegui caixas usadas com um brasileiro da Microsoft, empacotamos tudo e alugamos um caminhao do U-Haul e la fomos nos. Foi muito trabalho sem parar o fim de semana inteiro. Acabou que o caminhao nao era grande o suficiente, entao tivemos que fazer 2 viagens. Enquanto faziamos as viagens de caminhao ainda tinha coisa pra empacotar. No final acabou a fita durex e eu tava colocando tudo em saco plastico. Comecou organizadinho e terminou baguncado. Mas conseguimos! As 10 da noite de domingo terminamos de descarregar o 2o caminhao. Acabei devolvendo o caminhao so na 2a de manha, no caminho pro trabalho. Aquela semana inteira eu tava morta, nem conseguia produzir direito no trabalho. Mas fizemos tudo.

Fim de semana passado foi a vez do armario. Fizemos um projeto pra aproveitar o espaco da melhor forma possivel. Meu pai (engenheiro) fez varios desenhinhos e calculos. O Davide (arquiteto) fez o modelo 3D do armario. E eu (designer) ficava so dando opiniao. 🙂 Foi uma outra mega trabalheira instalar esse armario. Comecamos no domingo e meus pais terminaram durante a semana. Mas agora ta uma beleza. Aqueles armarios que voce pode entrar, tem varios compartimentos, tudo organizadissimo. Uma maravilha! O proximo passo sao os armarios dos outros quartos. Ufa…

Estou amando morar em Seattle. Tenho certeza de que fiz a escolha correta. Que saudade de viver numa cidade de verdade. As cidades de suburbio americanas sao mto falsas, nao tem calcada, quase nao tem gente andando na rua. Agora estou numa cidade, com todas os seus agitos, perfeicoes e imperfeicoes. O meu maior medo (que era a ida e volta diaria pro trabalho) nao ‘e mal de forma alguma. Vou de carro 2x por semana pra poder ir pra yoga depois. Se saio de casa as 7 nao pego transito. E como volto as 7 tambem nao tem transito. Nos outros dias eu pego o Connector, um onibus especial da Microsoft que ‘e gratis, tem varias rotas pra varios lugares de Seattle e ainda tem wireless dentro do buzu. Aqui estou eu, passando pela ponte em cima do Lago Washington, postando no blog do Connector. 🙂 E chego rapidinho em casa. Achei q seria o maior perrengue ir e voltar de Seattle pro eastside todos os dias, mas nao ta sendo nada mal. No Rio eu enfrentava muito mais transito todos os dias. E nem pensar de abrir um laptop dentro do onibus…

Anúncios

Comentários»

1. vinicius baratta - abril 10, 2010

Hello Melissa!
Bom, fiz uma busca no google procurando “viver nos eua” e encontrei seu blog… eu estou procurando forças para mudar os rumos que tomei e lendo seu blog me motivei mais um pouquinho…
Pretendo fazer um intercambio por aí em breve e, bom, achei legal dizer que vc e seu blog me ajudaram a dar mais um passinho em direção à esse sonho…
Obrigado e good luck!
Vinicius

2. Claudia Beatriz - abril 10, 2010

Mel, que bom que seus pais foram ai dar uma força né? Mas aos poucos vai entrando tudo nos eixos… curte muito a vida na cidade 🙂
beijinhos e posta fotos quando der.

3. Paula - maio 6, 2010

que gostoso amiguinha!!!! quero ver as fotos da sua casinha nova!!! beijos muita saudades!

4. Erica Ritacco - junho 23, 2010

Olá Melissa,
Encontrei seu blog ha um tempo e gostei muito. Eu e meu marido tomamos uma decisão hà dois anos, de mudar a vida um pouco. Estavamos “bem” no Brasil, tinhamos nos formado, trabalhavamos na nossa area e eramos bem remunerados, mas estavamos um pouco cansados daquela vida frenetica de SP. Resolvemos vir para a Italia fazer a dupla cidadania, em seguida ir à Londres e depois voltar ao Brasil.

Na verdade esperavamos muito pouco daqui e no final das contas acabamos ficando um pouco mais, pq as coisas demoram para se ajeitar. Pq estou te dizendo tudo isso? Bem, viver na Europa è sensacional, te permite viajar para là e para cà, conhecer linguas e culturas, no entanto ainda nao consegui me sentir em casa, sentir que essa è minha rotina, que consigo me aceitar alguns problemas que o país tem, etc. Sempre sinto que falta algo por aqui embora eu goste muito das pessoas e do lugar. Por exemplo, eu nunca compro nada para casa, pq sei que iremos embora um dia (quando nao sabemos) entao, digo: “nao vamos comprar isso pq è besteira e no final isso tb muda. Seu blog me mostrou um pouco que è possivel se sentir em casa e que cedo ou tarde isso acontecerà.
Muito prazer, Erica Ritacco

5. Camila de Paula - julho 8, 2010

amigammmmmmmmmmmmm, voltei pra blogsfera!!!

Tirei as teias de aranha do meu e voltei a escrever! Ri mto do meus antigos textos hahaha

Saudade de ler teu blog!! e de vc!!!!

beijo enorme!!

Camila

6. Priscilla Vassão Aliberti - agosto 29, 2010

Oi Melissa, tudo bem?
Encontrei seu blog por acaso… eu acabei de me mudar pra Redmond com o meu marido, ele vai estudar na DigiPen e eu ainda não sei o que fazer da vida, rs! Eu precisava de umas dicas, será que vc estaria disposta a trocar umas idéias comigo? Tenho 31, sou arquiteta de formação mas trabalho como ourives (designer de jóias). Meu e-mail é pwvassao@gmail.com e meu facebook é facebook.com/priscilla.vassao . Hope to hear from you soon!
Beijo!

7. palavrasdesofia - setembro 18, 2010

Oi, anjo!

Acho que você gostará desta novidade: o livro com o poema ‘VIDA: Já perdoei erros quase imperdoáveis’ já está nas livrarias de Portugal!

Estou deixando o link para você ver o vídeo no you tube. Está muito bonito!

Beijinhos…

8. samenezes - outubro 13, 2010

Oi Melissa!

Você não me conhece, nem eu a você, ainda.
Mas, como estamos globalizados, faz um bom tempo, quem sabe a amizade prospere.

O motivo o qual estou comentando o seu blog são vários, mas, nada perto de uma “cantada”, como seria próprio do Rio. É coisa de pessoa para pessoa mesmo. Assim, meio que “Colega” (vide adiante). Mas, não posso negar estar encantado.

Nem sou de escrever, nem muito. Mas, por vezes, é necessário, senão impossível — no que peço seu perdão.

Vou explicar um pouquinho, a respeito de como cheguei ao seu blog e terminei lendo um monte de coisas dêle, uns 5% só — na realidade, fui “levado” pela maneira solta como escreve, a redação perfeita, a colocação das idéias e fatos, os erros e acertos, as pausas, as reações, os sentimentos à época e tudo mais, inclui]sive a revisão para não haverem besteirinhas que incomodam — (exceto pela ausência dos acentos do seu teclado “TioSamNês”, coisa que acontece com todo mundo que conheço nos States, e olha que mando “tutoriais” para tal coisa e nada! — hahaha! Engraçado né!!).

||||Nota|||
Posso “Nerdiar” a respeito do teclado? Caso não, pule para “||…”, caso sim: É simples. Mesmo que seja Mac (aí é um pouco mais longo, vide APÊNDICE ‘A’) se for possível ‘setar’ para “inglês internacional”, pronto, resolve. Pois, se for PC, obedece à escola antiga, quando não haviam teclados em português: “´” + “a” = á; “~” + a = ã; etc.
Estou escrevendo isso porque é bonito uma pessoa nos ‘States’, que trabalha com o que você trabalha e onde você trabalha, e com a sua ‘bagagem’, escrevendo com acentos da sua língua nativa.
|||||||||||

Gostei das expressões que usa e ao expressar que está sendo ‘longa’ ao discertar (como um pedido de desculpas ou paciência) — de estar sendo Nerd em alguns trechos (quanto a isso, por mim, fique solta… manda ver! Pede para pular, com fiz, hahaha!); Coisas como “buscar forças do fundo do âmago”, que não deixa de ser poético; Não deixar de citar quantos quilômetros de bike ou de ter seguido outro ciclista para ver “aonde moram as cobras”, é legal! Muito legal!! Aqui na Bahia é “porrêta”, mesmo!

Poderia citar mais coisas, como “itemização das coisas boas de 2009”; ou que levou 2 meses sem escrever no blog — mas vou me ater por aqui.

Coincidentemente, pensei ontem, em fazer um blog (ao pé da letra, todos são sites) que reunisse, a convite ou inscrição, justamente, sites que falassem sobre algo assim: “Our Life, Including Our Computers” — não amadurecido o nome, ainda.

Isso aí falaria de cada um, com seus própios sites e tempos próprios, mas também conteria a experiência coletiva, o know-how coletivo, etc; Tal como você sai para ver como o cliente “está” em relação a um produto e chegando lá você se depara com “inesperados aspectos e novidades” (sendo que os “depoimentos” são o cerne), mas fimos sem saber o que aconteceu, pois estava a serviço da empresa. O que quero, é um (ou mais um) centro onde as histórias (com ‘H’) possam ser apreciadas. Tal como estive, a pouco, aperciando parte da sua carreira profissional mas, a reboque, vem um pouco da pessoal e é essa a mistura que creio todos gostarem. Como em “Eletronic Dreams”, um antigo filme, ou TRON, de Disney (fim do ano sai o segundo).

Nenhuma outra pessoa, vi escrever e dedicar-se com tanta consistência, aos relatos, tal como o faz. Praticamente “Uma Saga”, creio.
Aí, quando fizer 55 ou 60, junta tudo e manda para a Editora. Já te ocorreu?

Bom, agora eu, entremeado com algo seu (no bom sentido, olha lá! Hein?):

Pensando eu se existia ou não a “Microsoft University”, pois nunca passei na porta de uma, coloquei na busca e deu “NO TOPO”, o seu WordPress, que na linha resumo consta uma frase sua::
“Antes que me perguntem, não, não existe uma Microsoft University no sentido literal da palavra”. Daí, vim parar aqui. Depois eu notei há quanto tempo o blog está sendo alimentado. Uau! Mais de 4 anos. Parabéns!

Eu sou do tipo que anda lá na frente, um futurista, além da famaa aquariana — mas, de fato sim. Desde pequeno nadando, tinha que ser surfista (25 anos de poliuretano, você não vai ao mar, você faz parte) — não com uma grande parte deles, hoje, que entram e saem como se fossem ao shopping, mas daqueles que estão lá mesmo sem as ondas. Também desde pequeno, tive a sorte de olhar para a eletrônica, embrionária à época — mas um brinquedinho que me deram fazia eu montar 16 aparelhos diferentes. Nunca fui de ler muito, pois a maioria do que lia não me acrescia, exceto alguns, por andar com o “Efeito Esponja” ligado 24 horas.
Meus pais, os dois, são igualmente engenheiros e pintores (pintura plástica: carga tipo 92 Expos, fama jornal, TV e tal). Assim, herdei o cientista e o artista. Implica em: “Bicho Criativo”.
Faço isso o dia todo e entendo porque você se sentiu melhor naquela empresa criativa em vez de ficar nas outras (grandonas, por sinal).

É isso que quero que você sinta, já que outra pessoa está te dizendo e digo: “Acho que você é um Bichinho Criativo”, também.

Em 1971 ganhei uma Texas Instruments, e aprendi a programar, depois veio uma HP 41C, tempos depois o primeiro computador, daqueles tipo Clive Sinclair (no Brasil, TK-82C). Em todos os casos o único preofessor que havia era o manual. Só. Ninguém sabia nada a não ser aquele “Povo dos Mainframes” que, nem eles, sabiam dos bichinhos pessoais (PC). Portanto, tive que aprender tudo sozinho (já que o Efeito Espoja 24h ligado), depois veio o mouse e os ícones — Massss… sempre olhei que aqueles bichinhos eletrônicos podiam determinar “1” ponto na tela, mesmo aquela HP.

E isso me animava a manter o sonho de que um dia fosse minha Ferramenta de Arte. E é. Aconteceu.
Do mesmo jeito que tenho um ‘feeling’ para determinar se um programa vai ter futuro promissor (como PageMaker virou InDesign, como CorelDraw, como um Paint foi a Photoshop, etc) — predisse sempre, pois minha veia de programador e analiata de sistemas (consequência fatal) me faziam vê-los com olhos de raio-X. E minha veia de usuário e publicitário do departamento de arte (desde os 16 anos), me colocava do lado de cá.
Tive a sorte de ter o meu primo, fundado o que veio a ser maior agência de publicidade num raio de 2000Km, e me chamado para me jogar no meio das maiores feras que o dinheiro podia pagar.
Mas eu era nôvo demais, dava som para festas, estudava, surfava, fazia “pega” com amigos… namorava prá xuxú. Casei com 20! Imagina? Só vim a ser chefe de jornal/gráfica aos 24 anos.

O que quero dizer com isso é que, nunca, em minhas diversas profissões, conjunturadas (no sentido de integradas), pelos acasos ou “não, por tudo + atos”,… a verdade é que nunca me levaram a uma carreira planejada com a sua, o que me deixa comovido, ao ler os seus relatos. Mesmo quando entrei para a Eng. Civil. Nada! A informática já tinha me fisgado e eu já entrava em sala com um computer à tira-colo. Coisa que ajudou a todos — se alguém não o tinha, pelo menos podia ver que existia.

É muito bonito, ver assim, seus “Relatos De Uma Carreira – Uma Saga”!

Para encurtatar, me tornei um Designer. Mas, pelo dito, não só um Designer Gráfico Computadorizado, mas programava com arte, inventividade, também (pergunte a Bill, não sobre mim, mas sobre a beleza de programar). E eu até acho que você já percebeu isso, quando fala que está lidando com programas novos que vão te ajudar ou quando perdeu o mêdão do Flash… hahaha!
Não programo mais daquele jeito, mas sinto falta.

Apesar das altas complexidades do 3DStudio (20 anos, puxa!), do Maya, do Flash, só para citar alguns poucos, continuamos a encarar pois temos: “Ânsia pelo novo e de criar”.

E sem ela, báu-báu! Triste, morto, vegetal perfeitamente operacional… (tem gente à bessa assim, né?)…

A supercomputação já bate às nossas portas com as Tesla&Nvidia < $10000 – A interatividade suave e otimizada, como mostrada no meu blog, exposta pela Microsoft em "", também — o gestual humano captado pelo X-Box & outros, também. Criadores internados nos filmes com IronMan e Avatar, sempre projetam para as massas o que passa nas cabeças dos projetistas.

Enfim, vivamos! E conviveremos com maravilhas.

Pois, menina de sorte é você ao ter o poder de sacar.

Forte abraço! Sucesso!

Artur de Sá Menezes.
_________________________________
Salvador, Bahia, BR.
samenezes.wordpress.com

P.S.
Da minha experiência, digo que continue na Yoga, vai se surpreender lá adiante, quando chegar ao quase "Controle Total". Cura!
O resto, Deus É Quem Manda. (Lembrança no APÊNDICE 'B').

________________
________________
APÊNDICE 'A'

Não sei se no seu vai pegar o "It Just Works!", mas se der para apontar como "inglês internacional" os acentos saem, assim:

# Agudo (É): Option + E + a letra desejada
# C Cedilha (Ç): Option + C
# Til (Ã): Option + N + a letra desejada
# Circunflexo (Ê): Option + I + a letra desejada
# Trema (Ü): Option + U + a letra desejada
# Crase (À): Option + ` + a letra desejada

De outra maneira, consulte:

http://thinkad.wordpress.com/2007/06/11/guia-definitivo-de-acentuacao-no-mac-macintosh/

________________
APÊNCICE 'B'

Desculpas por eme extender, #2:

Ah! Quase esqueci! Aí nos States, tem um "Bicho" que veio aqui no Brasil (também) chamado Amit Goswami, um indiano, PhD em Física Quântica, mas um cara altamente diferenciado, pois estuda biologia, intelingência artificial, psicologia e tal e tal — Tudo isso para "Juntar Tudo", digo, progredir em seus estudos sob a regência da interdisciplinaridade. Eu acho que ele cai ser o cara que vai fazer o que a ciência nunca se atreveu: "Provar Que Deus Existe". E, segundo sei, parece que ele já provou matematicamente que o Universo é inconsistente, portanto, há "Algo Na Regência" – DEUS. Outra coisa: dele vai sair o Computador Quântico, mais rápido pois não tera algorítmos lineares e trabalhará com a incerteza, como faz o nosso cérebro.
VEJA NO YOUTUBE a uma das poucas entrvistas que foram reprisadas pela TVE, pelo Roda Viva (deve estar partida em 9 partes).
Dá para ter uma idéia superficial.

_____
[eom]

samenezes - outubro 13, 2010

Cometi uma omissão na mensagem anterior, quando deixei o conteúdo de um par de aspas vazio, impossível de editar depois de enviado,
onse se lê:
…exposta pela Microsoft em “”

e que quis me referir à:

“Microsoft Sustainability”

Citada em:

http://samenezes.wordpress.com/2009/10/19/49/

Minhas desculpas,

Artur Sá Menezes
______________________

[eom]

9. Lulu - outubro 15, 2010

Hey Mel… sumiu! Cadê você!?

Um abraço!

10. jose carlos pereira - novembro 7, 2010

nada a ver!!!!!!!!!!!!!!

11. jose carlos pereira - novembro 7, 2010

nada a ver
, o certo eu digo que eh usa!!!! o resto vc comompleta

12. Kika - novembro 20, 2011

Olá Melissa, tudo bem?
Fui chamada para trabalhar nos EUA, mas ainda estou na fase burocrática.. Tirando o visto! E caso de td certo queria saber se poderia me passar seu email para pegar umas dicas.
Obrigada!

Kika - novembro 20, 2011

Mais precisamente em Seattle tb, na Amazon. Obrigada!

13. Alisson - novembro 24, 2011

oi Melissa

li seu blog e gostei muito!!
eu e minha namorada queremos mudar de vida!!
nosso sonho é morar fora do Brasil longe da estressante Sao Paulo,
e decidimos ir pra Seattle nem que for só pra fazer um intercambio!!!
queria umas dicas suas!!
se for possivel quero fazer alguns contatos por e-mail para receber algumas dicas de como começar a planejar a ida pra Seattle!!!
meu e-mail: alissonpaixao.1@hotmail.com
obrigado.

ass.: Alisson

14. Roger - novembro 5, 2012

Olá… Passado todo este tempo, o que
Mudou? O que melhorou? O que piorou?
Obrigado por compartilhar…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: