jump to navigation

Top 10 março 30, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in mestrado.
6 comments

Recebi ontem uma cartinha com um convite para fazer parte de uma associação de top scholars das universidades americanas. Só recebe esse convite quem está entre os 10% melhores alunos de mestrado (e 7% melhores alunos de graduação) de todas as disciplinas de cada universidade americana. Achei legal saber disso mas acabei resolvendo jogar a cartinha fora. Falei com meu pai à noite e ele me disse que era melhor investigar mais isso. De repente esse status pode me ajudar na hora de procurar um emprego e tal. Resolvi catar a cartinha do lixo, tirei um pedaço de cebola que tava grudado nela e guardei. Não sei se quero fazer parte dessa associação mas foi bem legal saber que estou no top 10% de todos os alunos de mestrado da Ohio State. E vamo que vamo, né gente? Quero bombar muito nesse último ano de mestrado para sair daqui no ponto pra entrar com tudo no mercado de trabalho e dominar o mundo. hahahaha!

Hoje a noite estou indo acampar novamente. Vamos no mesmo lugar de antes. Desta vez estamos levando laptop para ver uns DVDs (The Aviator e Crash) pois talvez chova. No fim de semana passado chegou a fazer frio à noite, mas nada absurdo. Levamos edredon, calça, casaco e foi tranquilo.

E hoje recebi o seguinte e-mail de uma leitora do blog que me deixou muito feliz:

Obrigada…vou me focar nas suas palavras e tentar tirar delas minha inspiração…foi bom “desabafar” com vc. Obrigada pela energia positiva que está impregnada em seu blog…adorei “conhecer” vc.

É tão bom saber que as pessoas sentem energia positiva aqui no blog. Isso é um ótimo sinal! Eu volto à entrar numa maré boa e creio que só tem a melhorar. Vejo tanta coisa boa vindo por aí de uma forma como nunca senti antes.

Bom fim de semana à todos!

Anúncios

Ah, Europa! Faltam 3 meses!!! março 29, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in viagens.
3 comments

Semana passada me peguei fazendo a contagem regressiva da contagem regressiva. Um dia eu disse “Faltam 9 dias para faltarem 3 meses”. Isso sim eu chamo de ansiedade! Mas os últimos dias foram bons. Muitas reflexões, alguns acontecimentos legais, lições aprendidas e estou bem mais tranquilinha.

Não aconteceu muita coisa no planejamento da viagem para a Europa no último mês. Talvez eu vá para Ibiza, mas ainda não é certo. Talvez meu primo não vá. Talvez um amigo de Brasília vá. Muitos “talvezes”. O que é normal pois ainda falta um bom tempo. O site do festival de Londres já está no ar. Poderia já comprar o ingresso mas vou esperar mais um pouquinho já que o preço não vai mudar até lá. Em breve eu fecho de vez o itinerário e começo a fazer reservas nos albergues.

Em Londres talvez possa ficar na casa da Kiki, uma amiga da Leiloca casada com um alemão. Estou vendo primeiro aonde tem lugar para ficar e depois vejo onde precisarei de albergues. Tudo no seu tempo.

E falando em viagem, este fim de semana vamos acampar novamente! Na 2a feira a Rô vai passar 2 semanas viajando com a mãe pela Flórida então vamos aproveitar para acampar mais um pouquinho antes disso. Depois eu vou ficar tranquilinha por aqui me focando nas minhas coisas até ela voltar.
Aqui estão as fotos do acampamento do fim de semana passado. Ficaram lindas!

Nem tudo é fácil março 28, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in textos.
4 comments

Recebi esse texto maravilhoso da minha amiga Re hoje pela manha. Chegou em otima hora!

Nem tudo é fácil
(colaboração de Manoel Simão)

É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste. É difícil dizer eu te amo , assim como é fácil não dizer nada.
É difícil ser fiel, assim como é fácil se aventurar.
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer por hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
É difícil abrir os olhos e enxergar o que de bom a vida te deu, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta alguma coisa.
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer alguém chorar.
É difícil se por no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.

Se você errou, peça desculpas.
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado!
Se alguém errou com você, perdoe.
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender!

Se você sente algo, diga.
É difícil de se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar!
Se alguém te ama, ame-o.
É difícil se entregar? Mas quem disse que é fácil se feliz!

Nem tudo é fácil na vida, mas com certeza nada é impossível.
É preciso acreditar, ter fé e lutar para não apenas sonhar, mas também tornar todos os sonhos realidade.

Será que é difícil?

Recomeço março 27, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in mestrado.
1 comment so far

Essa ‘e a primeira semana do Spring quarter e eu tenho pensado que quero ficar bem focada nos meses de abril e maio. Quero me dedicar `a aula e evoluir bastante na minha tese. Quero chegar em Junho com a sensacao de dever cumprido e me preparar para a viagem a Europa. Quero ficar bem focada na minha vida aqui agora. Nao quero pensar muito no que esta por vir pois tenho tanta coisa pra me focar no presente.

Esse quarter eu terei somente uma aula `as 3as e 5as pela manha. Vou trabalhar meio expediente e dedicar o resto do tempo ao desenvolvimento do meu projeto de mestrado. Ouvi dizer que essa aula e’ bem sinistra e vou tentar usa-la ao maximo para me auxiliar na minha tese na medida do possivel. Ainda nao terminei o meu site entao essa semana quero ficar focada nisso, terminar logo para poder me focar em outras coisas.

Quero usar bem minhas horas durante a semana. Ser o mais produtiva possivel para poder curtir alguns fins de semana livres principalmente agora que o tempo esta bom. Nesse quarter eu estou com as 2as feiras livres no trabalho, ao inves de sexta (como costumava ser). Acho que pode ser ate melhor pois ja comeco a semana com tempo para trabalhar nos projetos.

Bom, chega de querer e vamos fazer!
Hey ho, let’s go!

Do meio do mato diretamente para Columbus março 26, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in viagens.
5 comments

Esse fim-de-semana acampando nas woods do sul de Ohio me fez lembrar como eu gosto de acampar e estar em contato com a natureza. Eu nunca fui muito de acampar pois namorei durante 6 anos uma pessoa q nao curtia. Depois desse namoro, acampei uma vez na Ilha Grande (Aventureiro) e depois vim morar fora e essa e’ a primeira vez que acampo nos Estados Unidos. Agora finalmente tenho amigos que curtem a mesma coisa para fazer esse tipo de programa junto. Nao quero mais deixar de acampar… Ou melhor, quero inserir mais acampamentos na minha vida. E’ a maneira mais barata e legal de conhecer lugares. Os meus ultimos acampamentos foram nos festivais: Trancendence em Goias (Julho/2005), Sao Jorge – Chapada dos Veadeiros (Julho/2005), UP (Dez,Jan/2006) e UP (Dez,Jan/2007).

Enfim… a temporada ainda nao comecou oficialmente e na 6a feira choveu torrencialmente o dia inteiro. Mesmo assim nao desistimos de ir. Chegamos la por volta de 8:30 da noite e a chuva nao parava. Estava tudo um breu e nos perdemos um pouquinho ate achar o nosso camping. Chegando la nao tinha papel nenhum com o mapa do camping e nao sabiamos onde armar nossa barraca. Resolvemos armar em qualquer lugar e depois mudar no dia seguinte. Armamos a barraca debaixo de uma chuva sinistra. Mo lama. Perrengue total, mas ninguem perdeu a calma. Depois de armar a barraca e achar que o perrengue tinha terminado, vimos que ela tava encharcada por dentro. Resultado: fomos dormir na Van. Ninguem reclamou e tivemos uma noite otima. Conversamos, jantamos, rimos muito. Vai ser uma daquelas noites que nao vou esquecer. E ainda bem que nao estavamos num fusquinha. Ou seja, tudo depende da maneira como vc encara os acontecimentos.

No dia seguinte acordamos e vimos como era lindo o local. Conversamos com o dono do camping e descobrimos onde era o local certo de acampar. Armamos tudo la e ficou uma maravilha. Camping 5 estrelas. Eletricidade, barraca enorme, mesinhas de picnic, lugar pra fazer fogueira e uma floresta linda de morrer bem ali na nossa frente. Nao tinha mais ninguem no acampamento. Acho que ninguem botou fe que iria ser um fim de semana otimo pra acampar. So a gente. Ainda bem!

Descobri um lado de Ohio que nao conhecia. Fizemos trilhas para grutas e cachoeiras lindissimas. As vezes parecia que eu estava na Chapada ou na Floresta da Tijuca. Nem lembrava que estava nos Estados Unidos. O tempo estava otimo. Nem sentimos frio. Vou colocar as fotos aqui em breve, assim que meu amigo me mandar.

Agora que o tempo finalmente esta melhorando, vamos acampar bem mais. Hoje comeca o periodo na faculdade e eu quero me focar muito durante a semana para tentar tirar alguns fins de semana de folga para viajar.

Levantando acampamento março 23, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in viagens.
5 comments

Esse fim de semana será a primeira vez que vou acampar nos Estados Unidos. Eu, Rô e Zé vamos para uma região linda de Ohio chamada Hocking Hills. Fica a apenas 60 milhas daqui, 1h15 de viagem. Tranquilinho… O lugar que vamos acampar é um dos poucos que está aberto pois a estação não começou oficialmente. A temperatura ficará entre 8 e 18 graus com previsão de chuva para sábado à noite mas domingo de sol. Estamos levando calça, casacos e edredon para não passar frio pois pode esfriar mais. Vamos comer sopinhas, fazer uma macarronada à noite e percorrer trilhas e lugares lindos durante o dia. Que saudade de ficar perto da natureza!

Bom fim de semana à todos!

O Monte Cinco março 21, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in livros.
6 comments

getimageasp.jpegHoje terminei de ler O Monte Cinco do Paulo Coelho. O livro passa uma mensagem legal, tem passagens legais mas ainda prefiro bem mais a história dO Alquimista. Vejo uma relação bem legal com minha própria história de vida. Depois escrevo sobre isso aqui.

Resolvi destacar o seguinte diálogo dO Monte Cinco que achei muito legal:

– As tristezas não ficam para sempre, quando caminhamos em direção àquilo que sempre desejamos.
– Sempre é preciso partir?
– Sempre é preciso saber quando acaba uma etapa na vida. Se você insistir em permanecer nela além do tempo necessário, perde a alegria e o sentido do resto. E se arrisca a ser sacudido por Deus.
– O Senhor é duro.
– Só com os escolhidos.

Só com os escolhidos. Isso não vai sair da minha cabeça…

Muita paz à todos.

Rapidinhas março 20, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in divagacoes, profissao, viagens.
3 comments

* Como e’ bom ter um tempo pra trabalhar para mim mesma. Estou aproveitando esses dias sem aulas para trabalhar no meu proprio site. Ele esta’ ha tanto tempo no forno que tava quase queimando. Mas dessa vez ele sai. Mesmo que nao consiga terminar essa semana, eu consigo terminar depois que as aulas comecarem pois o inicio e’ sempre mais tranquilo.

* Hoje recebi um e-mail da minha amiga Re dizendo que falou com a irma dela que mora em Paris. Ela esta planejando ir para uma festa eletronica em Ibiza e quer me levar junto! Nao preciso nem dizer que fiquei frenetica so pensando na possibilidade… Entao talvez role uma adaptacao no meu itinerario pois acho que essa e’ mais uma daquelas oportunidades que nao posso perder. Essa viagem vai ficando cada vez melhor que a encomenda!

* A primavera comeca oficialmente hoje a noite e a temperatura esta subindo novamente. Como estamos ansiosos para ficar em contato com a natureza, ja estamos planejando um acampamento em Hocking Hills esse fim de semana. Nunca acampei nos Estados Unidos e estou feliz por agora ter companhia e tempo para faze-lo.

* Tirei A em todas as materias do ultimo periodo. Na verdade em todo o mestrado so teve uma materia que tirei um B+. Meu GPA (Grade Point Average) esta em 3.93 e o maximo e’ 4. GPA e’ tipo o CR (Coeficiente de Rendimento) das faculdades do Brasil, so que o GPA vai de 0 a 4 e o CR de 0 a 10. Tudo indica que vou terminar o mestrado com um GPA bonzao! Eeeee

* Estou fazendo um esforco para me desapegar de algumas coisas que na teoria sao uma maravilha mas na pratica sao atualmente uma ilusao. Nao quero ficar me focando nas coisas erradas aqui. Isso so dificulta as coisas.

Li o texto abaixo no blog do Edson Marques hoje e achei que tem tudo a ver:
Amar é permitir sempre, amar é deixar que o outro vá… ou que fique, se assim o desejar. Amar é ter um respeito absoluto pela própria liberdade, e pela liberdade do outro. Amar é ter total delicadeza nas perguntas e respostas. Amar é não sufocar o outro com excesso de presença. Amar é compreender sempre. E isso não significa apenas entendimento racional, vai além, muito além: amar é reconhecer afetuosamente o direito que o outro tem de fazer suas escolhas.
(Mesmo que essas escolhas eventualmente me excluam.)

A casa das três mulheres março 19, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in comida, diversao & arte.
5 comments

Eu tirei os últimos quatro dias de folga. Tanto que mal passei por aqui, praticamente não fiquei perto do computador. Eu normalmente não passo muito tempo longe dele, mas às vezes é tão bom dar um tempo e só se preocupar em se divertir.

Quinta-feira chegou a Izabella, minha amiga do Rio que mora há quatro anos em Chicago. Malhei e trabalhei normalmente mas já saí direto pra um choppinho com ela. Ficamos de papo de 4:30 as 8:30pm. À noite a Rô foi lá pra casa já de mala e cuia. E ficamos as três juntas, só se divertindo, de 5a a domingo. Não pensei em trabalho, não pensei em internet. Só pensei em curtir os momentos com amigos queridos.

5a a noite fomos dançar músicas dos anos 80 numa boate aqui perto. Divertidíssimo. Sexta passeei pelo campus com a Izabella e terminamos na lojinha do Wexner Center (um centro cultural da cidade). Adoro essas lojinhas de design. Fico que nem criança, olhando tudo. Me dei um presentinho. Depois andamos pelas ruas daqui e comprei uns cartões de frases na Barnes & Noble. A Rô nos buscou e fomos jantar no Bodega. Delicia! À noite saímos para dançar e as pessoas e músicas estavam tão estranhas que quase não dançamos. Mas aproveitamos mesmo assim.

Sábado almoçamos no Macarroni Grill. Delícia total! À noite teve festa de St. Patricks na casa do host da Paulinha, nossa amiga. Algo bem tradicional aqui. O estranho é que os americanos não sabem curtir uma festa. Tinha comida e bebida à vontade e umas 10 da noite estava todo mundo indo embora. A brasileirada não queria arredar pé e acabamos continuando a festa na casa do Paulo, meu vizinho. Foi ótimo curtir um tempo com todos os meus amigos daqui. Fazia tempo que não reuníamos o grupo.

Domingo foi dia do brunch tradicional no North Star Cafe. Esse é um dos lugares que vou sentir falta… Um restaurantezinho muito legal. Ambiente aconchegante, músicas ótimas, comida maravilhosa e pessoas diferentes. A gente não passa uma semana ser ir lá. À tarde a Iza foi embora e eu ainda aproveitei o restinho do domingo para ver um filme e um episódio de “A Grande Família” e outro de “Comédias da Vida Privada”. Às vezes é tão bom ficar jogada no sofá vendo DVD, sem pensar em nada.

E agora… de volta ao trabalho!
Essa é minha última semana de spring break. Vou aproveitar para adiantar ao máximo meu site. Fim de semana que vem está com previsão de tempo bom e já estamos querendo ir acampar. Vai ser uma sensação maravilhosa acampar depois de tanto tempo enfurnada em casa por causa do frio.

Uma ótima semana a todos!

Encerrando um ciclo (por Paulo Coelho) março 17, 2007

Posted by Melissa Quintanilha in textos.
20 comments

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final.

Se insistirmos em permanecer nela mais que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos – não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu.

Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.

Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus filhos, seus amigos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardio, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora.

Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração – e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixa ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não tem data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – NADA É INSUBSTITUÍVEL, um hábito não é uma necessidade.

Pode parecer óbvio, pode ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.